segunda-feira, 30 de abril de 2012

Lendas da Rainha Santa - As Pêgas

(Arouca) - Após uma série de postagens sobre a história da Padroeira de Arouca, e a programação da festa que ocorre na freguesia, retornamos ao assunto de carácter folclórico, aquele que estamos mais dispostos a apresentar a todos que aqui freqüentam.

As lendas, fazem parte do universo folclórico, assim como a dança, a música, as rezas, as supertições, as crenças, os contos, os provérbios, o artesanato, os jogos, a religiosidade, os mitos e uma infinidade de outros temas que iremos abordar na continuidade deste espaço. O objectivo deste blog, além de expandir a cultura arouquense, é servir de ferramenta para que os grupos folclóricos se utilizem deste material, para agregar valor a suas representações para a sociedade na qual fará a sua actuação.

AS PÊGAS E A RAINHA SANTA MAFALDA
 
As pêgas são aves que pertencem à família dos corvídeos. Têm plumagem preta com reflexos metálicos, largas manchas brancas, e longa cauda. Chega a ter 50 cms. de envergadura quando têm as asas abertas. Têm um hábito peculiar: fazem grandes ninhos no cimo das árvores, para onde costumam levar objectos brilhantes.

"Diz o povo que no Século XIII, uma freira que professava no Convento de Arouca, entretinha-se a costurar e bordar nas suas horas de lazer junto à janela da sua cela, pois tinha mais luz e beneficiava do calor do sol.

Certo dia deixou o dedal em prata no peitoril da janela. Quando regressou à cela, verificou que o dedal tinha desaparecido. Pensou que ele tivesse caído na cerca do mosteiro, pelo que o procurou, mas o dedal nunca mais apareceu.

Passado algum tempo, a Rainha Santa Mafalda estava a rezar o seu rosário passando os dedos pelo seu valioso terço em ouro. Chamada para resolver um problema, pousou o terço junto à janela. Quando regressou, o terço tinha desaparecido. Procurou-se na cerca do mosteiro, fizeram-se preces e novenas, mas nada do terço.

Decorridos alguns dias, um lavrador da Aborrida (lugar contíguo ao convento), bateu à porta do Mosteiro e veio dizer que tinha visto uma pêga com um objecto brilhante no bico. Contou que lhe atirou com uma pedra porque ela voava baixo, e que a ave com medo, tinha deixado cair um terço. Atendendo ao valor do terço, pensou logo que se tratava dum objecto pertencente a alguém do convento, pelo que o queria entregar.

A alegria foi muito grande no Convento, por ter aparecido o valioso terço. A Rainha Santa Mafalda recolheu-se à sua cela, e quando foi à janela, verificou que um bando grande de pêgas esvoaçava  ruidosamente junto ao seu quarto.

Perante o ocorrido, a Rainha Santa Mafalda não se conteve, e irritada, disse em voz muito alta:

”Eu vos esconjuro suas ladras. Saiam da minha vista e desta terra para sempre”.

Diziam os antigos que, as pêgas quando chegavam aos limites do Concelho de Arouca, sentiam-se impedidas de prosseguir viagem e voltavam para trás. Durante séculos, diziam os nossos antepassados que as pêgas deixaram de existir em Arouca.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Participe! Todos os comentários seráo lidos e respondidos.